Os jogos de tiro para celular costumam ser péssimos. Pergunte a qualquer jogador sobre dispositivos móveis e essa é a resposta que você receberá. Os jogos para celular estão escondidos no show e, quando aparecem, a resposta geralmente não agrada. Mas Call of Duty: Mobile veio para mudar esse pensamento.

Confira os melhores jogos para celular em 2022!

Pode ser por isso que Call of Duty: Mobile manteve um perfil discreto, apesar do enorme apelo do jogo.  Assim, este é para muitos o maior jogo de celular da história. Sem dúvidas, foi o melhor game do seu ano de lançamento (2019). Portanto, pensando nisso, decidimos experimentar o jogo e depois de algumas partidas, estamos convencidos de que merece a sua atenção.

Um verdadeiro Call of Duty

'Call of Duty: Mobile': confira o review do game! - Foto: CO MAS
‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game! – Foto: CO MAS

Carregar uma partida de Call of Duty: Mobile é como ter uma seringa de ‘Call of Duty’ pura, refinada e não filtrada presa diretamente na sua jugular. A TiMi Studios, uma divisão da Tencent que desenvolve o jogo para a Activision, poderia tê-lo diluído até ficar irreconhecível, mas, em vez disso, a versão móvel parece um corte mestre de todos os jogos de ‘CoD’ já feitos.

Sua aparência limpa e às vezes colorida é uma reminiscência de ‘Advanced Warfare’ e ‘Black Ops 4’, mas as armas mais realistas e o sistema de classes enrolado têm mais em comum com ‘Call of Duty: Modern Warfare’, um dos jogo mais recentes da franquia disponível para PC e console.

O maior obstáculo enfrentado por um jogo para celular são os controles, é claro. Assim, os atiradores estão entre os gêneros mais desafiadores. Desse modo, Call of Duty: Mobile oferece dois esquemas de controle e eu tentei os dois.

‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game!

Os controles simples colocam o polegar esquerdo no comando do movimento e o direito no controle da mira. Não há botão de disparo. Em vez disso, você atira assim que seu retículo encontra um inimigo.

Parece estranho, eu sei, mas funciona. O fato de sua arma estar disparando não significa que você vencerá uma luta. Precisão, alcance e até mira ainda importam. Você não causará nenhum dano se tentar atirar em alguém pelo mapa com uma espingarda, e é importante apontar para tiros na cabeça. Matei vários inimigos que começaram a atirar em mim primeiro e, sim, morri por vários que avistei primeiro.

Os controles avançados adicionam um botão que permite mirar melhor. Você só vai disparar quando mirar. Isso oferece um controle mais preciso e facilita os tiros na cabeça, mas é necessária uma mira precisa para aproveitar ao máximo.

Eu preferia os controles avançados. Mirar para um tiro na cabeça à distância parecia recompensador. Não é ótimo para 360 mortes sem escopo, mas nunca senti que meu sucesso ou vitória foi devido ao polegar no botão de tiro.

Atirar em tolos é a principal atividade em Call of Duty: Mobile, mas há outras situações “bem queridas” pelo público. Você pode lançar granadas e flash-bangs, usar killstreaks e pegar armas derrubadas por inimigos. Tudo acontece com o pressionar de botões na tela. Joguei em um Motorola One Fusion, que era grande o suficiente para caber os muitos controles na tela. Mas jogadores de smartphones pequenos podem passar por um momento difícil.

Battle Royale está presente, mas não é o único modo que você jogará

'Call of Duty: Mobile': confira o review do game! - Foto: SW MAS
‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game! – Foto: SW MAS

Battle Royale chega a Call of Duty: Mobile, embora não seja o modo de jogo que experimentei. Em vez disso, tive uma breve demonstração do Battle Royale. Quem gostou do modo Blackout no ‘Black Ops 4’ deve ficar satisfeito. O Battle Royale do celular não é uma cópia dele, mas é semelhante. Até o mapa parece um spin-off de ‘Black Ops 4’.

Meu tempo foi gasto jogando duas partidas do clássico modo 5 contra 5 do jogo. Ao contrário do Battle Royale, que pode ser uma experiência longa, este modo é perfeito para curtos momentos de jogo. A maioria das partidas de 5 contra 5 leva entre cinco e 10 minutos.

Os mapas, mais uma vez, são retornos de chamada para os favoritos do Call of Duty. Eles pareciam menores do que eu me lembro, e menos detalhados. Isso leva a um ritmo frenético de combate. Ambas as partidas foram no modo team deathmatch com um objetivo de 50 mortes. O primeiro jogo foi uma vitória estrondosa para o meu lado (não, graças a mim), mas o segundo foi realmente emocionante.  Minha equipe conseguiu uma vitória de 50 a 48. Cheguei até ao pódio dos três primeiros.

Todo mundo quer o Battle Royale, mas suspeito que os jogos de 5 contra 5 serão tanto, se não mais, um empate a longo prazo para você. Tive a mesma experiência em ‘Black Ops 4’. Comprei para o Battle Royale, mas joguei o multiplayer clássico. As partidas rápidas e impiedosas são uma corrida, mesmo em uma tela de smartphone consideravelmente grande.

Toda a personalização, para melhor ou para pior

'Call of Duty: Mobile': confira o review do game! - Foto: CO MAS
‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game! – Foto: CO MAS

A personalização é um recurso central do ‘Call of Duty’, e o Mobile carrega tudo o que você espera.  Loadouts personalizados, skins de armas, skins de jogadores, killstreaks e emblemas fazem uma aparição.  Embora visualmente um passo atrás de ‘Call of Duty: Black Ops 4’, os gráficos estão pelo menos no mesmo nível de um jogo Xbox 360 ou PS3. Armaduras, armas e outras personalizações parecem elegantes.

Isso deixa uma preocupação: Micro-transações. Elas definitivamente estão no jogo. O jogo tem uma combinação de microtransações e passes de batalha para dar suporte ao jogo. Assim, prêmios cosméticos são a atração principal, e é forte. Muitas das armas, granadas e outras skins premium do jogo parecem fantásticas, enquanto a skin padrão do jogador não poderia ser mais sem graça.

‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game! – Foto: WT MAS

Também notei que as diferentes skins de armas estavam ligadas a estatísticas e vantagens. Infelizmente, eu não tive a chance de me aprofundar no sistema, mas tudo indica que há vantagens potencialmente vantajosas a skins de armas. Pelo que entendi, você pode tecnicamente obter vantagens através do jogo – mas a rotina é muito, muito longa. Inclusive, Drift0r, um experiente jogador de tiro, tem uma descrição completa dessas vantagens em seu canal do YouTube.

Quaisquer que sejam os detalhes, Call of Duty: Mobile é pesado sob o peso das microtransações. Você encontrará slots para personalizações em todos os lugares, sobrecarregando a tela e enfraquecendo sua força de vontade com o ataque implacável de possibilidades.

É Call of Duty. É móvel. E é desenvolvido por uma divisão da Tencent, TiMi Studios. A existência de microtransações, mesmo aquelas que oferecem vantagens no jogo, não é uma surpresa. Você terá que decidir se pode viver com isso.

Call of Duty no seu celular parece… bem, Call of Duty

‘Call of Duty: Mobile’: confira o review do game! – Foto: UF MAS

Call of Duty: Mobile é uma porta fiel da jogabilidade principal da franquia para o smartphone. Além disso, é também o melhor jogo de tiro em primeira pessoa que já joguei em um celular. As microtransações são um problema, assim como se tornaram um problema nos títulos principais de Call of Duty, mas os fãs que não se importam com esse aborrecimento vão adorar a versão móvel.

Baixe Call of Duty: Mobile para iOS;
Baixe Call of Duty: Mobile para Android.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário!